1. Desconheço o termo em questão.
2. Ignoro o paradeiro dessa pessoa em particular.
3. Não tenho uma resposta apropriada para isso.
4. Poderia instruir no aspecto que acaba de mencionar?
5. Meus conhecimentos não abrangem essa determinada área.
6. Ignoro o fim ou meta de tal processo.
7. Não tive a vontade de conhecer esse lugar.
8. Este aspecto é totalmente alheio a minha pessoa.
9. Isso é algo que eu gostaria de saber tanto como você.
10. Falar a verdade fico até envergonhado de falar algo na frente de quem entende tanto do assunto.

Já acessou o Lista 10 hoje 😀 ?

8 comentários em “10 formas inteligentes de dizer “não sei”

  • jan 29, 2009 em 21:11
    Permalink

    O Cessar Fogo Durou Um Dia
    Eva Bartlett, The Electronic Intifada, 27 janeiro 2009

    GAZA, da Faixa de Gaza invadida (IPS) – Às 7:30 da manhã, 22 de janeiro, cinco dias depois que as autoridades israelenses declararam que iriam cessar os ataques, depois de 22 dias de bombardeios por terra, ar e mar sobre a Faixa de Gaza, os navios de guerra renovaram seu bombardeio da costa de Gaza, ferindo seis pessoas, sendo quatro, crianças.
    Muawiyah Hassanain, diretor dos Serviços de Ambulâncias e Emergências relatou que haviam mais bombardeios na área noroeste da costa na mesma manhã. Cinco pescadores ficaram ferido nos ataques, revelou ele.
    Cerca de 9:45 da mesma manhã, no distrito de Shejaiya a leste de Gaza, Ahmed Hassanian de sete anos, estava do lado de fora da casa brincando com amigos, quando soldados israelenses começaram a atirar da fronteira. Uma bala alojou-se em seu cérebro, causando hemorragia cerebral e Dr. Fawzi Nablusi, diretor do hospital em al-Shifa disse que não acredita que o garoto sobreviva.
    Durante o cessar fogo, três palestinos foram mortos e 15 feridos incluindo os dez que foram feridos dia 22 de janeiro, de acordo com Hassanain e com Dr. Khalaf.
    Horas depois do alegado cessar fogo, aviões de guerra dos israelenses voaram baixo sobre Gaza e aeronaves não tripuladas com finalidades estratégicas com capacidade de fotografar e de lançar mísseis objetivados, continuaram a circular no céu de Gaza. Às 8:30 no dia 18 de janeiro, um desses aviões lançou dois mísseis na área de Amal, matando a garota de 11 anos, Angham Rafat al-Masri e ferindo sua mãe.
    O Centro Palestino de Direitos Humanos relata outras violações do chamado cessar fogo, incluindo o assassinato de Maher Abu Rjaila, de 23 anos, atingido no peito por soldados israelenses às 10 da manhã, enquanto andava pela rua na cidade de Khan Younis.
    Os soldados israelense também atiraram sobre os habitantes de Al-Qarara, perto de Khan Younis, às 13 horas do dia 20 de janeiro, atingindo Waleed al-Astal,de 42 anos em seu pé direito.
    No hospital de al-Shifa, Yasser Abed, de 15 anos, um refugiado do campo de refugiados do Litoral de Gaza explicou como ele recebeu uma chuva de estilhaços na testa. “ Eu saí de casa para ver o que estava havendo,” ele disse. “Eu nem cheguei a ver os barcos atirando, não vi nada.” Seu pai explicou que Yasser foi levado ao hospital de al-Shifa depois que os estilhaços o atingiram e que havia uma garota de quatro anos ao lado que também foi atingida pelos projéteis.
    Em outra sala do hospital, Nisreen al-Quqa de 11 anos conta como estava andando na praia com seu irmão quando os navios israelenses começaram a atirar nos pescadores palestinos. Um pedaço de bomba alojou-se em sua perna direita. “Que cessar fogo foi este?” disse a mãe da garota, olhando a filha. Mas ela sabe que Nisreen tem muita sorte de só ter ferido-se na perna – poderia ser muito pior, quando se compara com as outras crianças que tiveram seus membros arrancados e com ferimentos inéditos causados pelas bombas fosfóricas. Outros feridos durante o cessar fogo foram um garoto de 14 anos, ferido na coxa por estilhaços e um homem de 35 anos.
    “O ataque de Israel sobre Gaza matou mais de 1330 pessoas e espera-se recuperar mais 200 corpos que estão sob os escombros das mais de 4.000 casas derrubadas e dos mais de 20.000 prédios destruídos. Noventa por cento dos casos que chegam ao hospital de al-Shifa são civis, não são policiais, e a metade deles, mulheres e crianças” diz o Dr. Fawzi.
    As violações do cessar fogo não são nada de novo para os israelenses. Durante os meses alegadamente de cessar fogo, desde 19 junho, as forças israelenses mataram 22 palestinos. Trinta e oito pescadores e fazendeiros foram seqüestrados. Os soldados israelenses, rotineiramente atiravam sobre pescadores e fazendeiros ao longo das fronteiras de Gaza ferindo 62 pessoas de acordo com as fontes dos hospitais palestinos.
    IPS – Inter Press Service (2009). http://www.electronicintifada.net
    Related Links – BY TOPIC: Gaza massacres

  • jul 16, 2009 em 04:33
    Permalink

    Eis uma boa pergunta já que a fez tão sabiamente, fico em suma constrangido de tirar-lhe o merito de responder-la.

    TRADUÇÃO: Não Sei!

  • set 26, 2009 em 22:42
    Permalink

    nuuuuu … eu digoo ‘num seii ‘ i acaboo neé dahn ! kkkkkkkkkkkkkk ..zueraa gnt .. é qi eu soo burra msm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.